26 de junho de 2016

Epígrafe

O verdadeiro líder não forma seguidores; forma outros líderes. (Ralph Nader).

22 de junho de 2016

Epígrafe

A inspiração existe, mas tem que te encontrar trabalhando. (Pablo Picasso).

7 de junho de 2016

Diferença entre Iogurte e Kefir


Qual é a diferença entre Iogurte e Kefir?
Para muitas pessoas o iogurte e o kefir são dois produtos lácteos consumidos diariamente, e que não há muita diferença entre os dois. Mas isso não é verdade. Há muitas diferenças entre o iogurte e o kefir, incluindo como cada um é preparado, tipos de bactérias presentes em cada um, e o flavor (aroma e sabor) e a consistência.

Tipos de starters
Starter é a cultura inicial que através do processo de fermentação se multiplicará e produzirá o produto, seja iogurte, kefir, queijo, etc. Para o iogurte há dois tipos de starter: culturas mesófilas e culturas termófilas. Mesófilo significa que os microrganismos são cultivados a temperatura ambiente. Termófilos significa que deve ser aquecido “carinhosamente”, por volta de 43°C, num iogurteira ou equipamento similar.

Propagação
Também existe uma diferença na maneira que a cultura é propagada. Culturas reaproveitáveis, uma vez ativas, são propagadas pela adição do iogurte feito anteriormente em uma nova quantidade de leito fresco (sem fermentar ainda). Uma vez que o iogurte está pronto, ele pode ser propagado novamente, e assim por diante. Normalmente o iogurte necessita de ser preparado uma vez por semana.

Normalmente a cultura stater de iogurte vem em forma de pó (liofilizado), e o comum é que sejam termófilas. Sendo que cada novo lote de iogurte que for preparar precisa de um pacotinho de microrganismos (lactobacilos). Embora esse tipo de iogurte pode ser reaproveitado algumas poucas vezes para fazer um novo, até o ponto que será novamente necessário usar um pacotinho de lactobacilos novos.

O kefir de leite, por outro lado, é cultivado usando os grãos de kefir. Os “grãos” são, na verdade, uma massa gelatinosa que abriga uma variedade generosa de bactérias e leveduras, a partir dos quais se pode fazer lotes contínuos de kefir, sem a necessidade de uma nova cultura. Os grãos de kefir de leite devem ser transferidos para uma nova quantidade de leite a cada 24 horas. O  kefir de leite também pode ser feita com uma cultura starter comprada, similar a do iogurte, mas o mais comum é conseguir um pouco de kefir através de doações feitas pessoalmente ou por correspondência.

Tipos de bactérias
Iogurte e kefir apresentam diferentes tipos de bactérias, cada um com características distintas. No caso do kefir há diferentes tipos de bactérias e de leveduras no grão; já o iogurte é um único tipo, sendo os mais comuns lactobacilos e bifidobacterium.

O benefício dessas bactérias é que conseguem atravessar o nosso trato digestivo e atuam ajudando as bactérias benéficas da nossa microbiota. Já as bactérias do kefir são capazes de colonizar o nosso trato intestinal, combatendo assim as bactérias prejudiciais ao nosso organismo.

Aroma e Consistência
De maneira geral, o iogurte é mais leve e o kefir é mais azedo e tem um cheiro forte e pungente. Entretanto esses fatores dependem muito da maneira de como é preparado o iogurte ou o kefir. Fatores como tempo e temperatura (e outros também, como qualidade do leite e higiene) afetam diretamente o aroma e consistência do fermentado.

Conclusão
O iogurte é uma boa fonte de bactérias probióticas, que requerem manutenção semanal, dependendo da cultura escolhida. Geralmente tem uma boa consistência, que dá pra comer de colher, e pode ser leve ou forte no sabor. O Kefir de leite é uma grande fonte de bactérias probióticas e leveduras, e requer manutenção diária, utilizando os grãos de kefir de leite. Em geral, é mais azedo em sabor e de uma consistência grossa; e acaba sendo mais fácil de cultivar que o iogurte, pois o kefir fermenta a temperatura ambiente e os microrganismos são resistentes, enquanto que o iogurte exige tudo estéril e controle da temperatura durante a fermentação. Mas ambos mostram a versatilidade para serem usados de diversas maneiras.


Esse texto também pode ser visualizado e baixado no link:

Fonte:

Kefir que "esfarelou" e não crescia


Anteriormente, já havia postado falando sobre o meu kefir não cresce e "esfarelar", como mostra foto acima. Os grãos era pequenos como se fosse um farelo mesmo, mas não cresciam, embora continuavam fermentando.

Estava em dúvida se continuava tentando cultivar eles ou se deveria arrumar outro kefir. Então resolvi postar  lá no grupo do facebook Kefir Brasil o que estava acontecendo e pedir uma ajuda. Um dos participantes do grupo disse que aconteceu o mesmo com ela, e me disse para aumentar a quantidade de açúcar mascavo.

Resolvi seguir essa dica, dobrei a quantidade de açúcar (de uma colher para duas colheres). Durante duas semanas continuei preparando o kefir normalmente. Depois percebi que tinha alguns grãos que estavam um pouco maiorzinho no meio daquele "farelo", então separei delicadamente os grãos maiores dos pequenos, e comecei a usar esses que estavam maiores pouca coisa. O resto joguei fora, pois os pedações eram muito pequenos. Praticamente comecei do zero, era como se tivesse recebido uma doação nova.

Desde então o kefir tem crescido normalmente e saudável. O kefir está saudável novamente e os grãos estão grandes e bem firmes e gelatinosos, como mostra a foto abaixo que tirei recentemente.


Dias de Outono

por Rodrigo Henrique.

Olhando pela janela do banheiro
vejo que hoje é um típico dia de outono.
Dias de outono são tristes e pacatos.
Eu gosto dos dias de outono.
É frio mas tem sol, e as nuvens se arrastam pelo céu
o tempo parece devagar, e o contraste da paisagem é mais visível.
Isso tudo me faz querer parar para ficar olhado
sem ao menos precisar pensar ou refletir.

Resetar Epson Tx105 - Erro vida útil de peças do interior


Bem primeiramente gostaria de dizer que possuo uma Espon Tx105 multifuncional e uso cartuchos recarregáveis, então já ouvi, li e vi muitas histórias sobre as Epson's. E me apareceu esse erro no qual as duas luzes amarelas ficam acessas e aparece essa mensagem que é necessário suporte técnico.

Recentemente descobri a função do dispenser, que na verdade é um frasco para onde vai os resíduos de tinta gerados pela impressora. Quando a impressora não possui esse frasco, os resíduos de tinta são retidos por uma almofada de feltro dentro da própria impressora que vai retendo os resíduos e encharcado. Por isso o sistema tem um contador que estipula a quantidade de resíduos gerados, logo quando chega no limite a impressora trava e aparece a mensagem dizendo que é necessário suporte técnico e que peças estão no fim da vida útil. A peça nesse caso é a tal da almofada de feltro.

Mesmo com o dispenser, o contador de resíduos contínua, para resolver isso deve-se resetar o EEPROM da impressora. Lembrando que sua impressora já tem que estar com dispensar funcionando.

Note que este reset que estou disponibilizando é o pra Epson Tx115, mas ele funciona pra Tx105. Vasculhei desesperadamente vários sites e blogs (até em russo) e por fim resolvi testar o reseter da 115, que funcionou perfeitamente. Ao abrir ele não vai reconhecer o modelo 105, daí você deve colocar sendo Tx100 para que não ocorra erro de comunicação (error code 20000218 e outros) 

Link para download do reset
https://www.4shared.com/rar/Z1TC6ECrce/Reset_TX115.html? (Atualizado 01/04/2016)

Saída de resíduos (dispenser) para impressora Epson


Esse vídeo mostra como é feito a instalação do dispenser nas impressoras Epson. Entretanto você pode fazer o seu próprio dispenser adaptado usando material alternativo que você possua. O princípio de funcionamento é um só: jogar para fora os resíduos de tinta expelidos pela a limpeza da cabeça de impressão e pela troca de cartuchos.

Para não precisar comprar um dispenser, fiz uma adaptação utilizando tubinho de tinta de caneta esferográfica e um fraquinho de plástico; para não ficar sem a tampa de traz da impressora fiz um furo com um prego quente para passar o tubinho que já sai direito dentro do frasco de plastico que também é furado.

Iogurteira caseira

Há inúmeras maneiras de fazer iogurte caseiro, usando panela de pressão, caixa de isopor, forno e até cobertor. Chega a ser parecido com procedimento de preparar o yakult caseiro. Acabei testante o o do forno, das cobertas e cheguei até a deixar no sol; entretanto o resultado sempre variava. Decidi desistir de fazer o yakult caseiro. Cheguei a tentar cultivar kefir de leite, mas o sabor não me agradou nada, pois tem o cheiro muito pungente, tipo de queijo azedo.

Então acabei tentando fazer o iogurte comum, que se encontra no mercado, mas como os micro-organismos dele são termófilos (necessitam de calor, aproximadamente 42°C). O ideal seria possuir uma iogurteira, mas o preço desse equipamento é relativamente alto, pois a iogurteira manter sempre a mesma temperatura através do seu termostato. Foi então que achei esse vídeo e o tutorial de como fazer uma iogurteira caseira.


Baseado nesse vídeo e no tutorial de como construir a iogurteira caseira que encontrei no blog Aproveitaravida, acabei construindo o minha própria iogurteira. Vejam as fotos abaixo:



O resultado, embora nada bonito, ficou muito bom, pois em apenas 3 horas consegui fazer o iogurte caseiro, e isso sem deixar a lâmpada ligada direto. E o melhor de tudo é que agora sempre posso separar um pouco do iogurte que fiz, e utilizá-lo para preparar o outro, ou seja, não preciso mais ficar comprando o portinho no mercado, coisa que não é possível quando se usa o L. casei shirota do yakult, ou pelo menos eu não consegui repetir.

Gostaria de deixar o agradecimento para a Anabela (de Portugal) dona do blog Aproveitar a Vida

Fonte:
http://aproveitaravidaja.blogspot.com.br/2010/03/iogurteira-feita-em-casa-e-de.html

Tudo que você precisa saber sobre o kefir

Manual do Kefir


Link para download ou leitura em tela cheia:
http://pt.slideshare.net/rodrigoshmg/manual-do-kefir

6 de junho de 2016

3 de junho de 2016

2 de junho de 2016

1 de junho de 2016